OBESIDADE

   As transições nutricionais ocorridas neste século direcionam para uma dieta mais ocidentalizada, onde aliada à menor prática da atividade física, converge para o aumento no número de casos de obesidade em todo o mundo.

   Este quadro representa aumento na morbidade e na mortalidade associadas à obesidade, uma vez que esta é fator de risco para várias doenças como diabetes tipo II, hipertensão, doenças cardiovasculares e cálculo na vesícula biliar. A obesidade se apresenta não apenas como problema científico e de saúde pública, porém como grande indústria que envolve o desenvolvimento de fármacos, de alimentos modificados e suplementos alimentares.

   Hoje, mais do que nunca, o assunto "queimar gordura" chama a atenção de um número cada vez maior de pessoas. Produtos ou dietas milagrosas estão em todos os lugares, seja na televisão, em revistas ou nas livrarias (sempre entre os mais vendidos). A indústria da perda de peso movimenta hoje cifras milionárias, pois a obesidade vem crescendo de forma assustadora, sem distinção racial ou social, tanto nos países desenvolvidos como nos subdesenvolvidos. Hoje, existem aproximadamente 5 ou 6 bilhões de pessoas em todo o mundo, sendo que das quais, em torno de 300 milhões são obesas.

   Acreditem, o maior contribuinte para o sucesso em um programa de redução da gordura corporal, não está em nenhuma droga mirabolante ou em nenhum suplemento milagroso, mas sim em uma dieta adequada. A nutrição corresponde aos processos gerais de ingestão e conversão de substâncias alimentícias em nutrientes que podem ser utilizadas para manter a função orgânica. Para conseguir a diminuição da massa adiposa é necessária à existência de balanço energético negativo, condição na qual o gasto energético supera o consumo de energia. Os estoques de energia do organismo são consumidos para sustentar os processos metabólicos, o que leva a perda de peso, frente ao déficit energético.

   Mas o que irá determinar a qualidade da perda de peso será a origem das calorias ingeridas, a maneira como são distribuídas na dieta, além da prática de atividade física. O exercício auxilia no aumento do gasto energético, além de prevenir a perda de tecido muscular. Por isso a necessidade de uma programa nutricional desenvolvido de acordo com as necessidades e objetivos de cada um, associado com a prática de exercícios.

© 2016 Copyright Victor Silvestre by Chegaaê!

  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle